arquivo

Arquivo mensal: setembro 2012

Os desenhos e personagens de papel da ilustradora sueca Sandra Juto são encantadores. Adoro as cores, a delicadeza e a simplicidade do traço. Seu talento e bom gosto não se atém apenas às ilustrações. Sandra também confecciona peças de crochê e é uma excelente fotógrafa. Vale a pena seguir @sandrajuto no Instagram e acompanhar seus registros diários de Berlim, cidade onde vive.

O renomado fotógrafo Philippe Halsman, cansado do convencional, resolveu fazer retratos das pessoas em pleno pulo. Segundo Halsman, durante o pulo, a pessoa, numa súbita explosão de energia, vence a gravidade. Nessas circunstâncias, ela não consegue controlar ao mesmo tempo suas expressões, seus músculos faciais e corporais. É neste momento que a “máscara cai” e o verdadeiro eu se revela. Essa sua teoria foi depois chamada de Jumpology. Com esse filosofia Halsman fez fotos incríveis de pessoas íncriveis. O artista Salvador Dalí, as atrizes Marilyn Monroe e Brigitte Bardot, o ex-presidente americano Richard Nixon, o escritor Aldous Huxley, o duque e a duquesa de Windsor, entre várias outras celebridades, posaram para as lentes de Halsmam. Ou melhor, pularam. As fotos foram publicadas em 1959 no Philippe Halsman’s Jump Book.

As pinturas da americana Jennifer Davis chamam atenção pelo contraste. São delicadas e femininas e, ao mesmo tempo, bizarras e perturbadoras. O caráter contrastante também está nas (muito bem selecionadas) paletas de cores, que sempre misturam tons pastéis e cores vibrantes gerando um resultado massa. A seleção de cores é um dos pontos mais importantes do processo criativo de Davis. Na maioria das vezes, ela defini as cores antes mesmo de pensar no tema que vai pintar.